Reprodução

Pessoa: Soube que está grávida? Parabéns! Quantos meses?

Grávida: Obrigada! Estou de 10 semanas.

Pessoa: … (fazendo as contas na cabeça)

Se você nunca ficou grávido, esta é a pergunta que vem sempre a sua cabeça quando vai falar com alguma grávida.

Eu mesmo não via menor sentido em mudar a contagem de tempo. Se o calendário está ai, funcionando em dias e meses, já há séculos, por que inventar outro sistema métrico?

Seriam os médicos e grávidas britânicos enrustidos, que precisa usar uma unidade de medida própria para se diferenciar do resto dos mortais? Ou estariam eles pregando uma peça na gente?

Mas, depois que você ‘pega barriga’ começa a entender a coisa toda.

Isso acontece porque, na maioria das vezes, não dá pra saber exatamente em que dia aconteceu o encontro entre o óvulo e o espermatozoide (talvez se você faça sexo uma vez por mês, dê, mas não é o caso da  maioria das pessoas…). Por isso, os médicos resolveram adotar a contagem sempre a partir do primeiro dia da última menstruação.

Você sabe que a gravidez não aconteceu no primeiro dia da última menstruação. Mas é a partir desse dia que começa a contagem de semanas e o ciclo menstrual feminino (com o período de fertilidade no meio dele).

Assim, a gravidez dura em média 40 semanas.

Como a ovulação acontece mais ou menos duas semanas depois do começo da menstruação, na prática as 40 semanas “oficiais” são na verdade 38 semanas a partir do dia em que o bebê foi gerado.

Se você engravidou ou conhece, comece a se acostumar. Essa contagem vai fazer parte da sua vida por muitos meses e todos os aplicativos e médicos passam as informações com este sistema de medida.