Reprodução

A paternidade é capaz de mudar o homem. E não falo aqui em presenteá-lo com um filho ou de criar uma responsabilidade para o resto da vida.

Um estudo publicado no periódico científico Journal of Marriage and Family, aponta que a chegada do primeiro filho apresenta mudanças significativas nos comportamentos considerados agressivos, como envolvimento com criminalidade, e autodestrutivos, como dependência de cigarros e abuso de álcool.

Para chegar ao resultado, pesquisadores acompanharam 200 homens entre 12 e 31 anos que tinham comportamento de risco durante 19 anos. Eles responderam questões sobre a prática de crimes, uso de tabaco, abuso de álcool e consumo de maconha.

Estudos anteriores já demostraram que o casamento pode mudar o comportamento negativo do homem, mas não haviam apontado quais eram os fatores afetados pela paternidade.

Reprodução

“Ao desconsiderar o processo de envelhecimento e responsabilidade natural, vimos que a paternidade foi um fator independente em contribuir para a diminuição da criminalidade, consumo de álcool e tabaco”, diz David Kerr, autor do estudo da Oregon State University.

Descobriu-se também que paternidade quando chegada em um momento mais velho tem a maior proporção de mudança no estilo de vida.

Segundo a pesquisa, homens que se tornaram pais aos 20 e poucos anos mantinham comportamentos arriscados por mais tempo do que aqueles que tiveram o primeiro filho aos 30 anos.

“Homens que tiveram filhos mais maduros foram capazes de se entregar à paternidade e abandonar hábitos negativos de vida. Há uma oportunidade única de intervir para conseguir uma mudança. Pais de primeira viagem parecem estar mais abertos a ouvir mensagens positivas e a tentar mudar o próprio comportamento”, resume David Kerr.

Por essas e outras que eu falo: a paternidade transforma a vida de um homem e, se você for um pai de verdade, sairá dela um homem muito melhor!