Férias, feriado prolongado, final de ano, boas oportunidades para você sair da rotina do trabalho e dedicar um tempo especial a sua família, além de descansar, é claro.

Recentemente fiz minha primeira viagem com meu filho que nasceu há poucos meses e posso garantir que a experiência foi muito diferente de qualquer outra trip que já fiz com minha mulher ou mesmo solteiro com amigos.

Se você quiser guardar bons momentos juntos com a família – e não ter uma experiência traumática, é preciso prestar bastante atenção e se programar de forma redobrada.

A grande vantagem de viajar com seu filho pequeno é a questão econômica. Bebês até 2 anos viajam de graça, se estiverem no colo dos pais em grande parte das companhias aéreas e não pagam hospedagem. Outra vantagem quando eles são bem pequenos é que a alimentação pode ser bem simples, basta a mãe ou uma mamadeira.

Reuni dicas simples e funcionais que vão te ajudar na hora de planejar (e executar) a viagem com seus filhos. Confira!

1. Planeje uma viagem familiar

A primeira coisa que você precisa é pensar no tipo de lugar que quer ir com seus filhos e qual é a estrutura que este lugar pode oferecer. Destinos que exijam muitas caminhadas, visitas a lugares com muitos museus e pontos históricos podem não ser nada agradáveis para as crianças.

Os pequenos preferem perder horas em playground e parquinhos. Os adultos querem programas como museus e compras. Tente balancear a questão da mobilidade e divida um tempo para as atividades e atrações para todos os integrantes. Assim a experiência vai ser mais acertada e todo mundo sai feliz.

2. Hotel ou aluguel de temporada?

Hotéis têm seus benefícios, como serviço de quarto, refeições, estrutura de atividades, serviços de baby-sitter. Outra opção é aluguéis de temporada, onde você pode alugar sua casa, preparar suas próprias refeições. Pense nos pontos positivos e negativos de cada um.

3. Não exagere na mala

Para viajar com família, você terá que montar malas o quanto menores e mais práticas possíveis. Isso porque vai precisar levar carrinhos, cadeirinhas, malas de mãos, brinquedos, e ter as mãos livres para pegar as crianças.

Existem vários truques para fazer uma mala compacta, os que indico é colocar tudo em cima da cama e depois ir excluindo a metade; outro é pensar exatamente o que vai vestir a cada dia (usando peças coringas e repetindo roupas); e outro é imaginar que sua mala não chegou no destino e você precisa fazer compras bem básicas para passar alguns dias. O que você compraria que fosse fundamental? É isto que vai precisar.

4. Preste atenção na hora da reserva

O lugar tem boa acessibilidade? Ou tem muitos degraus e escadas sem levador? Conheça bem a estrutura do lugar e o seu entorno, para ver se você não vai passar muito perrengue de chegar até lá levando o carrinho do seu filho

5. Que tipo de carrinho levar

Isso vai depender da condição anterior, da estrutura do espaço e em torno. As ruas são planas e acessíveis? Ou não tem mobilidade a não ser de carro.

Carrinhos leves e fáceis de carregar são os mais indicados e eles até podem ser levados até o portão de embarque. Em caso de necessidade, também podem ser usados como uma cama provisória para um cochilo da tarde ou ida ao restaurante. O Sling é uma boa alternativa para carregar o bebê em ambientes que exigem mobilidade e não tem uma boa estrutura para carrinhos.

6. Planeje seus voos


Tente planejar seus voos em torno da hora de dormir do seu filho. Voos noturnos podem ser mais caros, mas se seu filho dormir esse custo vai valer a pena tranquilidade para todos. Se precisar fazer uma conexão, dê bastante tempo entre os voos para evitar correrias com pequenos e bolsas no aeroporto.

Na conexão, faça pausa, estique as pernas, leve as crianças ao banheiro, coma e prepare para o próximo voo.

7. Para trajetos de carro

No caso de transporte de carro, priorize o conforto da viagem, com um carro mais vazio e faça mais pausas que o de costume. Elas servirão para esticar as pernas, alimentação e ir ao banheiro, recobrando as energias para quando voltar a estrada.

8. Faça testes antes

Antes de encarar viagens longas e cansativas, aposte em trajetos curtos e de fácil descolacamento. Assim você vai saber como os pequenos se comportam, questões de enjoo, necessidades e paciência para aumentar o percurso.

9. Sem correria desnecessária


Para evitar qualquer contratempo e esquecer coisas importantes, faça tudo sem pressa. Reserve horário para chegar cedo ao aeroporto, rodoviária ou faça o trajeto de carro sem pressa para curtir a estrada. Pegue este tempo de sobra para conversar, interagir e se divertir com seus filhos, passando um clima bom para curtir a viagem.

10. Prepare-se para os imprevistos

Existem inúmeros imprevistos que podem acontecer durante a viagem, seja ela curta ou longa. Problemas com reserva, atraso de voo, condições climáticas. Se você estiver preparado a isso e com bom humor, nada vai te atingir.

Seu nervosismo acaba afetando as crianças e o bom clima da viagem pode azedar. A dica é, quando um adulto tenta resolver a situação, o outro distrai os pequenos. Se eles forem maiores, você pode explicar o que está acontecendo para que eles entendam a tensão.

11. Pense na alimentação

Com filhos é importante reservar mais tempo para as refeições e planejá-las. Você não precisa ir só em restaurantes. Durante a visita aos lugares, lanches podem ser a solução entre uma refeição e outra.

Vocês podem optar por um café da manhã reforçado, atividades na rua e um jantar mais cedo, por exemplo. Pense que a fome pode prejudicar qualquer programação.

12. Curta a viagem

Este é um momento de lazer em família. Esqueça o stress do cotidiano, o trabalho, brigas e discussões de um outro momento. Vá para seu destino com objetivo de curtir com sua família e aumentar os laços entre vocês. Evite discussões e tenha mais paciência.

Depois de tanto planejamento, dinheiro gasto e tempo, é hora de aproveitar a jornada.

 

Comentários