"Fazer sexo todos os dias durante um mês salvou meu casamento", assume mãe

Depois do filho, é normal que a intimidade do casal mude. Em alguns casos, ela sofre bastante e nunca mais volta ao que era antes. Foi o que aconteceu com uma mãe australiana, com 10 anos de relacionamento, que precisou usar uma alternativa inusitada para reativar a vida a dois: fazer sexo todos os dias, durante um mês.

+ Saiba quais são as mudanças do sexo no pós-parto

A necessidade do ‘intensivão sexual’ veio depois de três filhos. Para tentar ajudar outras pessoas, ela resolveu fazer um relato anônimo ao site Kidspot.

“Depois de três crianças em cinco anos, duas carreiras, e de tentar manter pequenos fragmentos de uma vida social, nos afastamos. Éramos companheiros de apartamento em vez de parceiros, e geralmente dormíamos com pelo menos um filho entre nós na cama.

Foi então que tive a ideia de fazer sexo todos os dias durante um mês para nos reconectarmos e meu marido aceitou imediatamente”.

Como não é bobo e nada, o seu companheiro, que é pesquisador, começou a apontar as vantagens do intensivão sexual, como “diminuir o stress e o risco de problemas cardíacos” e “aumentar a autoconfiança e a intimidade do casal”.

Mas, apesar de parecer uma situação agradável a ambos, as coisas não foram tão fáceis assim. Na primeira noite, a mulher admite que as coisas ocorreram de forma desajeitada.

"Fazer sexo todos os dias durante um mês salvou meu casamento", assume mãe

“O sexo era previsível e não tão excitante assim. Tivemos o sexo que os casais têm quando sabem exatamente o que o outro gosta e querem apenas terminar. Mas foi um início. Continuamos assim por alguns dias – e então as coisas começaram a ficar interessantes. Começamos a tentar coisas novas – e fiquei surpresa ao descobrir que gostava de algumas coisas que achei que não faria, e a empolgação de não saber o que estava por vir também foi muito intoxicante”, acrescentou.

Os dois conseguiram ultrapassar os desafios dos dias em que não estavam com vontade de transar. “Às vezes, as coisas duravam mais de meia hora, à medida que redescobríamos os corpos um do outro e os nossos. Outras vezes tínhamos cinco minutos enquanto as crianças estavam no banho ou brincando no trampolim, o que também era divertido à sua maneira. Os momentos roubados me fizeram sentir como uma adolescente novamente”, declarou.

Ao final de 30 dias com transa, o casal tinha conseguido se reconectar. Eles riam mais juntos, recuperaram as brincadeiras internas, tinham mais intimidade e tocava-se com mais frequência. Ela assumiu que recuperou a autoestima e a capacidade de gostar do que via no espelho: “Apesar de não estarmos mais seguindo o mesmo ritmo, ainda estamos fazendo muito mais sexo do que costumávamos, e nos relacionando melhor um com o outro. Estamos pensando em fazer do nosso mês de sexo um evento anual. Mal posso esperar pelo próximo”.

Está ai uma dica para os casais que se perceberam distantes por conta de filhos e da rotina atribulada. Às vezes, se ambos estiverem dispostos, dar essa ‘forçadinha’ na intimidade, pode render a reconexão do relacionamento.

Comentários