Rejeição do pai

É inegável o carinho e a presença da mãe na criação e desenvolvimento dos pequenos. Apesar de toda essa responsabilidade, um estudo recente feito pela Universidade de Connecticut (EUA) apontou que a rejeição tem um poder de influência no pequeno que acompanha a vida inteira, causando reflexos e traumas até a idade adulta.

Segundo a pesquisa, ser amado ou rejeitado pelos pais afeta a personalidade e o desenvolvimento das crianças até a fase adulta. Aqueles pequenos que sofreram rejeição sofrem de uma dor semelhante a tomar socos no estômago a todo o momento.

Isto de acordo com pesquisas nos campos da psicologia e neurociência, que revelam que as mesmas partes do cérebro ativadas quando as pessoas se sentem rejeitadas são ativadas quando sentimos dor física.

O reflexo da rejeição se apresenta na forma de ansiedade e insegurança, e estas crianças que passaram por isso são muito mais propensas a serem hostis e agressivas.

Outro ponto negativo é que elas sentem mais dificuldade em formar relações seguras e de confiança com outras pessoas, graças ao medo de passar pela mesma situação novamente.

Rejeição do pai

Além de todos esses atributos negativos, o estudo também revelou algo inovador: que as crianças geralmente sentem mais a rejeição se ela vier do pai do que da mãe.

Para os especialistas que conduziram o estudo, uma explicação pertinente é que o papel masculino ainda é supervalorizado e pode vir acompanhado de mais prestígio e poder.

Por isso, uma rejeição por parte do pai sofra um maior impacto na vida da criança.

Agora que você descobriu isso, a responsabilidade de ser um pai mais presente e participativo está com você. Faça a sua parte pensando no futuro do seu pequeno!

 

Comentários