relacao-entre-pai-e-mae-influencia-diretamente-o-comportamento-dos-filhos

É muito importante dar boa educação para os filhos, mas você já parou para pensar que, mas do que palavras, o jeito como você lida com o relacionamento com sua parceira pode influenciar diretamente a educação e comportamento dos seus filhos?

Quem descobriu isso foi um estudo na Universidade de Sussex, no Reino Unido. A pesquisa analisou de maneira isolada a percepção do pai e da mãe sobre o próprio relacionamento e como isso interfere na expressão dos filhos.

Nessa pesquisa, foram analisadas 106 famílias, todas com filhos biológicos e nas quais pai e mãe moram juntos na mesma casa. Os pais responderam questionários e tiveram entrevistas por telefone com os pesquisadores, para relatar como se relacionavam com o cônjuge e atuavam na criação das crianças. E o resultado foi surpreendente.

Quando as mães que participaram do estudo afirmavam não receber suporte do marido, não foi estabelecida uma relação com o bom ou mau comportamento dos filhos. Entretanto, no caso dos homens que se disseram não apoiados por suas esposas na educação dos filhos, foi identificado um padrão desafiador das crianças, que demonstravam comumente atitudes como jogar os brinquedos no chão, ou responder de forma áspera aos pais.

relacao-entre-pai-e-mae-influencia-diretamente-o-comportamento-dos-filhos-2

Embora a pesquisa tenha identificado ainda essa relação, mas não tenha estudado as causas que levam a ela, uma possível explicação para o mau comportamento dos filhos quando a parte paterna não encontra o apoio materno é a de que o papel atual do pai na criação dos pequenos ainda não está bem estabelecido.

Como ainda hoje é a mãe a considerada responsável por essa tarefa (e a família inteira tem essa consciência, inclusive os filhos), é importante que ela abra espaço para que o pai também seja atuante – só assim ele conquista autoconfiança e poderá construir um relacionamento de amizade e respeito com as crianças maior.

Então, o conselho que fica do estudo é incentivar cada vez mais a paternidade participativa. Seja na hora de trocar uma fralda, na hora do banho, ajudar o filho a dar os primeiros passos, no momento de repreender e também no de demonstrar carinho.

Essa é uma forma saudável de construir uma relação entre pais e filhos cada vez mais de amizade e felicidade.