Soldado, emocionado, assiste do aeroporto o nascimento da filha ao vivo

O nascimento do filho é algo almejado e esperado pela grande parte dos pais. Mas, devido a algumas responsabilidades profissionais, nem sempre é possível estar presente no momento especial. Foi o que aconteceu com o soldado norte-americano Brooks Lindsey, que teve seu voo atrasado e acabou assistindo o nascimento da pequena Millie no aeroporto, através de um celular.

+ Homens que merecem prêmios pelos seus feitos como pai
Um conselho para o pai: Persista
+ 18 Imagens que mostram como a paternidade muda a vida de um homem

Foi graças a uma passageira do mesmo voo, Tracy Dover, que pudemos acompanhar a reação do pai, visivelmente emocionado, vendo sua pequena nascer.

Tracy acabou compartilhou a cena que rapidamente viralizou nas redes sociais. Junto com ela, a legenda: “Esse soldado estava no meu voo para casa, que atrasou ontem. Ele precisou assistir ao nascimento da filha por FaceTime. Ele estava chorando e nossos corações partidos. Nós demos espaço a ele. Quando ouvimos o bebê chorar, ficamos felizes. Queria compartilhar isso porque não quero que nos esqueçamos dos soldados que nos servem todos os dias e dos sacrifícios que eles fazem”.

Soldado, emocionado, assiste do aeroporto o nascimento da filha ao vivo

O atraso até que foi útil, isso porque se não fosse ele, o soldado estaria dentro do avião durante o nascimento da sua filha.

Depois, em texto compartilhado nas redes sociais, Haley, esposa de Brook, explicou toda a situação.

Brooks estava em El Paso, cidade que fica a 4 horas de avião de Jackson, onde a família vive, esperando o comando do Exército para ser enviado ao Kuwait, onde ficará durante nove meses em operação.

Soldado, emocionado, assiste do aeroporto o nascimento da filha ao vivo

Como o exército americano só agenda voos com urgência para soldados que vão ser pais se houver alguma complicação na hora do parto e, como estava tendo uma gravidez sem grandes problemas, Haley estava convencida de que o marido não conseguiria chegar a tempo. Porém, em uma consulta de pré-natal, os médicos descobriram que a pressão de Haley estava alta, com risco elevado de pré-eclâmpsia, e decidiram induzir o parto.

Foi então que Brooks ganhou uma licença de 4 dias e teve dois voos agendados para ir para casa. Ainda assim, não conseguiria chegar a tempo, e só conseguiu assistir ao parto porque o segundo voo atrasou.

(se não conseguir assistir, confira neste link o vídeo

Para que seu filho estivesse presente ao nascimento da pequena, a mãe do soldado estava na sala de parto e fez a transmissão ao vivo.

Haley relatou como foi a experiência do pai. “Brooks me dizia que eu estava indo muito bem, ouvia ele estremecer e dizer ‘uau!’ enquanto eu empurrava. Podia ouvir as pessoas no aeroporto conversando e aplaudindo! Brooks, então, me disse que estavam pedindo para que ele embarcasse quando a cabeça dela finalmente começou a aparecer e tudo que lembro foi do meu médico gritando ‘Não deixe que ele embarque no vôo! Ela está aqui! Ela está aqui!’ Então, a equipe do aeroporto deixou que ele ficasse sentado na área de embarque e assistisse até o fim!”.

Depois de algumas horas, Brooks chegou ao hospital para conhecer a filha, Millie, com que ficou por quatro dias, antes de voltar a El Paso para embarcar para outra missão. Agora, profissional!

Comentários