Reprodução

Muito se fala da importância do elo entre a mãe e o filho, mas deixar o pai em segundo plano ou até ignorar esse relacionamento pode ser crucial para o futuro da criança. Um novo estudo aponta que amor paterno é fundamental para o bom desenvolvimento da personalidade infantil.

Segundo 36 estudos revisados por Ronald Rohner, da Universidade de Connecticut (EUA), feitos com mais de 10 mil crianças, revelou como um pai frio ou distante pode prejudicar a vida de uma criança até por décadas.

“Nos EUA, Grã-Bretanha e na Europa, assumiu-se durante os últimos 300 anos que todas as crianças necessitam de um relacionamento amoroso com a mãe para o desenvolvimento normal e saudável. E que os pais estão lá como apoio para a mãe e para sustentar a família financeiramente, mas não são necessários para o desenvolvimento saudável das crianças. Mas essa crença é fundamentalmente errado. Nós temos que começar a ficar longe dessa ideia e perceber a influência do pai é tão grande, e às vezes maior, do que a mãe”, declara Ronald Rohner.

Fundamentalmente, o amor de um pai era muitas vezes tão importante como uma mãe. Em alguns casos,  ainda mais.

Uma razão para que o amor de um pai tenha tanta importância quanto a da mãe é que a rejeição na criança é mais dolorosa quando se trata do pai da criança, considero pelo pequeno mais poderoso ou respeitado.

Reprodução

“As crianças de todos os lugares – independentemente de raça, cultura e gênero – tendem a responder exatamente da mesma forma, quando elas se perceberam rejeitadas”, apontou Rohner.

O especialista concluiu que as crianças que não se sentem amadas tendem a tornar-se ansiosas e inseguras, e isso pode torná-las mais necessitadas. Raiva e ressentimento levam a fechar-se emocionalmente em uma tentativa de proteger-se de ainda das cicatrizes de rejeição.

Isto pode tornar mais difícil para elas entrarem em relacionamentos na vida adulta. Elas podem sofrer de baixa auto-estima e têm dificuldade para lidar com situações estressantes.

Reprodução

Professor Rohner acrescentou que a pesquisa mostra as mesmas partes do cérebro são ativadas quando as pessoas se sentem rejeitadas como quando eles sofrem dor física. E acrescenta: “Ao contrário da dor física, no entanto, as pessoas podem psicologicamente reviver a dor emocional de rejeição por anos.”

Sua pesquisa mostra a relação com o pai é particularmente importante para o comportamento e pode influenciar se uma criança bebe mais tarde em excesso, toma drogas ou sofre problemas de saúde mental.

Norman Wells, da Family Education Trust, disse: “Este estudo sublinha a importância de famílias estáveis, onde tanto o pai e a mãe estão comprometidos com a educação dos seus filhos juntos”.

Fonte: Daily Mail

Comentários