"Não vai doer!" Precipitar uma situação aumenta sensação de dor em crianças

Qual o pai que nunca passou por isso. Você leva seu filho para tomar uma vacina e ele pensa que vai passear. Basta chegar ao posto de saúde que o pequeno já abre o berreiro.

Muitas vezes a dor causada pela injeção nem é tão grande (às vezes é só uma gotinha na boca), mesmo assim, a dor e o lamento da criança parece ser algo realmente assustador.

Um recente estudo justificou o ato. Segundo ele, basta que a criança acredite que vai ter um momento de sofrimento para que este sofrimmento se transforme em realidade.

A descoberta aconteceu na Universidade da Califórnia (EUA). Para chegar a ela, os especialistas analisaram como a expectativa pode influenciar a dor dos pequenos.

A pesquisa contou com a participação de 25 adultos e 46 crianças, sendo que 27 delas tinham transtorno de ansiedade. O objetivo era comparar como adultos e crianças se comportavam quando eram informados de que determinada situação poderia causar dor.

"Não vai doer!" Precipitar uma situação aumenta sensação de dor em crianças

Os especialistas pediram para que os convidados sentissem a temperatura da água que saía de uma torneira e classificassem a dor que sentiam em diferentes níveis: baixo, médio e alto. Mas em todas as vezes, só temperaturas médias foram usadas.

O que mudava de uma situação para a outra eram as instruções que as pessoas recebiam antes de começar o teste. Algumas vezes eles ouviam a orientação de “baixo calor” e em outras de “alto calor”.

A pesquisa concluiu que tanto os adultos quanto as crianças foram influenciados pelos avisos que ouviram antes do experimento. Ou seja, quando os convidados esperavam que a temperatura da água estivesse mais alta, eles diziam sentir mais dor, mesmo que a água não estivesse tão quente assim.

“O que aprendemos com esse estudo é que a sensação de dor em crianças e também nas crianças com ansiedade é influenciada pelo que elas escutam. Se dissermos que sentirão muita dor – ou se elas disserem isso a si mesmas – elas sentirão mais dor e mais emoções negativas como consequência”, diz a psicóloga Kalina Michalska, uma das autoras do estudo.

Como prevenir uma situação de possível dor nos pequenos?

"Não vai doer!" Precipitar uma situação aumenta sensação de dor em crianças

Sabendo que eles podem antecipar uma dor, seria certo esconder, omitir ou mentir a situação de sofrimento pelo qual eles vão passar? Não, está completamente errado.

A mentira pode minar a confiança da criança no adulto”, diz Fabíola Minson, diretora da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor. O melhor caminho é explicar o que vai acontecer de uma forma que ela possa entender.

Agora, para amenizar a situação, no lugar de simplesmente dizer que uma coisa vai ou não ser dolorosa, os pais devem tentar descrever com mais precisão a sensação que os filhos podem ter.

No caso da vacina com agulha, por exemplo, uma boa opção seria falar que “a agulha vai parecer um galho de árvore raspando na sua pele”, ou como “uma picada de uma formiga”. Assim, dizemos a verdade sem supervalorizar as experiências ruins.

“É importante que ela saiba que essa picada vai doer, sim, mas que será tudo rápido”, diz Minson.

Outra estratégia que pediatras usam é desviar a atenção. Você pode usar brinquedos, quadrinhos e até algum tipo de alimento. Dessa forma, ela não contrai tanto a musculatura, o que tornaria a aplicação ainda mais dolorosa.

É preciso entender que contar a verdade não é antecipar o sofrimento. Quando tiver que levar uma criança ao hospital, é melhor explicar aonde estão indo e por que no próprio dia ou horas antes do procedimento.

Fonte: Super Interessante, Crescer

Comentários