O Brasil vive o maior surto de febre amarela dos últimos anos. Foram 70 casos confirmados da doença e mais de 40 mortes, sendo 40 registros dos casos em São Paulo.

Tanto que a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou, nesta terça-feira (16/1), a considerar todo o estado de São Paulo como área de risco de febre amarela.

Além de São Paulo, a doença atinge um número maior de Estados e municípios neste ano.

É neste momento que você se pergunta: a partir de quando devo vacinar o meu pequeno?

Bom, primeiro, você precisa saber que a imunização contra a febre amarela consta do calendário nacional de imunização e, morando nas áreas de risco, ela opcionalmente aplicada em bebês aos 9 meses de idade, sem necessidade de reforço ao longo da vida.

Diante da epidemia, os pais ficam com a dúvida: devo vacinar meu bebê contra a febre amarela?

Segundo entrevista da pediatra Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, isso vai depender de alguns fatores.

“Bebês que residem em áreas onde a vacina contra febre amarela é necessária devem tomar esta vacina a partir dos 9 meses de vida. A primeira dose ocorre aos 9 meses e a segunda dose aos 4 anos”.

A pediatra também explica que em casos de surtos de febre amarela, bebês que vivem em regiões que estão sendo afetadas por estes surtos, podem tomar a vacina a partir dos seis meses de vida. “Mas é importante deixar claro que isso não é uma rotina, é uma situação especial”, destaca Isabella Ballalai.

O que você NÃO PODE FAZER é vacinar contra febre amarela bebês antes dos seis meses de vida e nem mães que amamentam bebês com menos de seis meses de vida. Isso porque o vírus vacinal pode causar efeitos graves nos bebês, assim como a doença. Já a mãe não pode tomar a vacina para não transmitir pro bebê pelo leite materno e causar os mesmos efeitos graves.

Apesar de não ser orientado vacinar bebês que não vivem em áres de risco, os pais devem ficar atentos para visitas em região de risco, o que pode ocasionar picadas do mosquito.

A vacina também não é recomendado para gestantes, já que existe um risco dela fazer mal para o feto. A imunização só acontece em último caso, quando a gestante se encontra em uma situação de altíssimo risco de contrair a febre amarela.

Fonte: Bebê Mamãe

Comentários