Saiba como a chupeta pode interferir no desenvolvimento da fala do seu filho

A chupeta presta um grande serviço acalmando os pequenos naquele momento de choro e birra. O problema é que, se não usada com sabedoria e parcimônia, pode ser bem prejudicial para a criança, assim como a mamadeira e o dedo.

Em entrevista para a publicação Pais & Filhos, a mãe e fonoaudióloga Rosana Cristina Boni, especialista em motricidade orofacial da Clínica CEFAC, revela que a sucção é um reflexo do processo de alimentação do bebê, desencadeado pelo contato dos lábios com o mamilo.

“Mamar no peito faz a criança exercitar mais sua musculatura facial, pela necessidade de sugar intensamente, levando a uma exaustão da sucção e uma sensação de satisfação e bem-estar. Existem estudos que relatam que crianças amamentadas naturalmente apresentam menor probabilidade de desenvolver hábitos de sucção não nutritivos, como a chupeta e o dedo”, aponta Rosana.

Segundo a especialista, essa sucção é importante para o crescimento do bebê, pois ajuda no desenvolvimento da região da face e da mandíbula, precisando ser estimulado desde o nascimento. E então que os problemas de substituição podem aparecer.

“Quando o bebê toma mamadeira em vez do peito, ele não precisa fazer todo aquele movimento com tanto vigor. E Isso prejudica o crescimento crânio-facial da criança”, explica a especialista.

Claro que a amamentação não precisa ser uma obrigação a todas as mães, principalmente aquelas que não conseguem por algum problema.

Mas, a atenção precisa ser dada ao uso excessivo da chupeta e do dedo. Na fase de pleno desenvolvimento da criança, oferecer a chupeta constantemente pode provocar alterações na arcada dentária e até mesmo no formato do rosto.

Assim, o indicado é retirar os hábitos de sucção até os 3 anos pode propiciar a reversão natural de alguns problemas que possam ocorrer.

No caso do uso da chupeta, a recomendação é escolher aquelas com formato, tamanho e bico corretos, , nos casos em que a criança acaba de mamar no peito, mas continua sugando lábios ou língua. Dessa forma, o seu pequeno pode satisfazer a necessidade de sugar, evitando que ele pegue a mania de chupar o dedo mais tarde, por exemplo.

Comentários